Experimentem, degustem, divirtam-se!

Experimentem, degustem, divirtam-se!
Conheçam livros de ficção e fantasia com tempero nacional: Agridoce, Cítrico e Paganus.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Leitores que viajam... =)

Oi gente!
Eu fico tão feliz quando os leitores viajam ao lerem meus livros! Quando conseguem enxergar coisas que mexem com eles de alguma forma! =)
O leitor Rodolfo Euflazino manifestou sua viagem e opinião sobre o Paganus (então chamado de Gênese Pagã) em 2010.
Confiram o que ele disse e curtam a música que ele sugeriu:
"Por outras plagas...
O livro, de bate-pronto me fez lembrar da introdução histórica de Rose Marie Muraro para o livro "O martela das feiticeiras (Malleus Maleficarum)", que para quem não conhece é o Manual dos Inquisidores, escrito em 1484. Nela Muraro transcreve uma frase “No princípio era a Mãe, o verbo veio depois” para explicar que a Grande Mãe cria o universo sozinha.
E o que isso tem a ver com o livro? Tudo uai!!! Nas primitivas mitologias, ao invés de Javé – um deus único e centralizador, temos a Grande Mãe – permissiva e amorosa. Com a entrada do catolicismo em cena há uma mudança de matricentrismo para patriarcado. Este embate é o cerne deste maravilhoso livro.
Adendo meu: é sabido que o catolicismo adotou várias datas comemorativas importantes do povo pagão, para que o mesmo se convertesse e não deixasse de comemorá-los. Exemplo disso é o Natal, que era comemorado pelos pagãos com rituais de Solstício de Inverno, a noite mais longa do ano, entre outros.
Voltando ao livro, quero dizer que fiquei encantado com o cuidado da autora na caracterização das personagens e em sua preocupação em manter a riqueza de detalhes histórico-geográficos. Isso tudo torna uma obra prazerosa de se ler.
Confesso que fiquei um tanto aborrecido ao final do livro, pois me identifiquei com o personagem Guilherme (por ser magrelo) e ele estava fadado a ser apenas um elo de ligação. Mas também não é este o objetivo de um autor? Causar incômodo.
Sou passional e aescrita de Simone me fascinou. A literatura nacional dá mostras de que nunca vai perecer. Revela aqui mais uma escritora mestra na arte de contar uma boa história, como aquelas contadas numa roda de amigos. Ela me pegou pelas mãos e me fez viajar com ela para Portugal, berço de nossa nação, sem me forçar a nada, apenas dominando pelas palavras.
Quero ler toda a saga e aguardo ansioso uma minissérie de TV, com a canção “O Pastor” de Madredeus embalando esta grande aventura!"
http://www.youtube.com/watch?v=6b-RehmqZUE

Um comentário:

  1. oi. tudo bem?
    estou seguindo seu blog
    mas nao achei a opçao de seguir por email (newslleter/feed) para eu receber as novidades em meu email. rsrs
    ellianeramos@hotmail.com
    bjs

    ResponderExcluir