Experimentem, degustem, divirtam-se!

Experimentem, degustem, divirtam-se!
Conheçam livros de ficção e fantasia com tempero nacional: Agridoce, Cítrico e Paganus.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Aproveitem para comprar os últimos exemplares...

Últimos exemplares dos meus livros pela editora Literata com super desconto.
Aproveitem. =)
Valendo desde o dia 28 de Outubro até quando esgotar o estoque que possuo, ok?
O pagamento deverá ser feito apenas por depósito ou transferência bancária, para que eu possa ter o controle exato das vendas e não correr o risco de alguém pagar o livro (no caso Pagseguro) e eu não ter mais para enviar.
A regra básica é:
- O interessado deve me avisar qual ou quais livros vai desejar para que eu os reserve.
- Enviar um email para mim para que eu informe o número da conta para o depósito (meu email: simone.odete@uol.com.br)
- Enviar para o email o comprovante de depósito para que eu possa localizar o valor e no mesmo email me passar o endereço completo para o envio dos livros.
- Assim que eu enviar, informo o número de registro nos correios para que acompanhem a entrega.
Qualquer um dos meus títulos: R$ 15,00 (cada) +
Frete: 1 livro = 5,00
Frete: 2 livros = 10,00
Frete: 3 livros = 13,00
Abaixo, os títulos e a quantidade disponível para essa promoção. Conforme as vendas ocorrerem vou atualizando neste mesmo post, ok?
AGRIDOCE - 08 exemplares
CÍTRICO - ESGOTADO
ETÍLICO - 30 exemplares
PAGANUS - 03 exemplares
SAMHAIN - 18 exemplares
CRÔNICAS DO REINO DO PORTAL 1 (O ENIGMA DA ADORMECIDA) - 22 exemplares
CRÔNICAS DO REINO DO PORTAL 2 (O LAGO DE FOGO) - 23 exemplares
Beijos!!!

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Mudanças e mudanças...

Boa noite, queridos!
Como postei no mês anterior no facebook, mudanças estão acontecendo novamente em minha carreira. Algumas representam um salto formidável para minhas obras, como a adaptação das Crônicas para a TV (processo no qual estou envolvida em negociações, mas tudo muito positivo e espero poder em breve trazer notícias definitivas e muito, muito boas).
Outras são mais complicadas, mas que estou lutando para resolver da maneira mais ética e melhor possível.
Como postei no mês passado, a bienal foi um sucesso de vendas dos meus livros (esgotaram-se todos os títulos), mas, ao que parece, o feito não foi suficiente para superar as dificuldades pelas quais a editora passava (que não me cabe aqui discutir). Portanto, desde o início do mês estou desligada da editora Literata.
Quem acompanha minha trajetória sabe como tenho lutado pelas minhas séries sem ter qualquer QI dentro do mercado literário e por quantos revezes já passei por conta disso, apesar da qualidade de minhas obras.
Enfim... estou travando nova batalha.
Por conta disso, o livro Fadas e Druidas (que está pronto, diagramado, com ISBN inclusive) teve a pré-venda suspensa. Mas quem me conhece sabe que não desistirei e que podem contar comigo que darei um jeito dele chegar às mãos dos leitores que tanto apoiam e acreditam em meu trabalho. Estou trabalhando nisso, podem crer, assim como para entregar a vocês o último livro da saga Sabores do Sangue (que estava programado para fevereiro/março de 2015).
Conto com o apoio e o carinho que sempre me dedicam e quem puder e quiser, sinta-se à vontade para um boca-a-boca com editoras (grandes), quem sabe assim, eles resolvam olhar mais de uma vez para as obras...
A semana que vem farei uma venda dos livros que tenho comigo a preços promocionais. ;)
Obrigada pelo carinho e compreensão.
Beijos!

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Aniversariantes do mês de Setembro

Como fiz no mês passado, venho comemorar o aniversário de algum personagem.
O mês de Setembro tem dois personagens aniversariando:
ADRIANA - das Crônicas do Reino do Portal
LEONARDO - de Sabores do Sangue
. Adriana, chamada pelos amigos de Drica, tem 22 anos, tem cabelos encaracolados e a pele morena clara, cor de jambo. É uma garota quieta, que gosta de observar as pessoas e busca sempre o equilíbrio. Gosta de ordenar as coisas, e o faz com sutileza e delicadeza. Não tem talento para as armas, mas carrega um poder muito especial...
Leonardo tem quase 18, estuda cinema, gosta de skate e surf. Adora HQs, filmes (principalmente os clássicos) e tem mania de organização. Irmão mais novo de Dante, é leal e tem muito senso de humor.
Parabéns a esses dois personagens que conquistaram um espaço no coração de muitos leitores!
Vejam essa Adriana, o que acham?
E esse Léo? =)
Beijos!

Balanço da Bienal Internacional do Livro de São Paulo - 2014

Oi gente!!
Estive participando da Bienal do livro aqui em São Paulo, do dia 22 ao dia 31 de Agosto.
Fui como autora e como colaboradora da Editora Literata.
Demos um duro danado! Eram mais de 12 horas em pé por dia... muita saliva gasta, a garganta secou e hoje estou bem rouca, rsrsrsr Mas tudo valeu a pena. =)
Vendi muito bem os livros de minhas séries, Agridoce, Paganus, Deuses do Mar e CRP1 esgotaram. Encontrei antigos e novos leitores que me fizeram muito feliz. Encontrei e confraternizei com colegas escritores, todos ali lutando pelas suas obras e pela Literatura Nacional.
Acho muito legal isso, desde que, claro, a honestidade e respeito imperem.
E há alguns dias já venho recebendo feedback dos novos leitores e estou muito emocionada com essa recepção e o carinho com que têm me procurado para falar de minhas histórias!
Muito feliz aqui e superando desafios, sempre, mas com incríveis perspectivas!!
Obrigada a todos que estiveram por lá para prestigiar meus livros e àqueles que se dispuseram a me ouvir falando sobre minhas histórias!
Beijos a todos!!

domingo, 3 de agosto de 2014

Personagem Aniversariante do Mês de Agosto. =)

Oi gente!!
Vou lançar uma postagem no mês em que algum personagem meu faz aniversário!
Neste dia, vou falar um pouco do personagem, seu jeito, um pouco de sua personalidade e responder a perguntas que os leitores queiram fazer sobre ele (desde que não gerem spoiler, rsrsrs).
Inaugurando essas postagens, no mês de Agosto, o personagem aniversariante é o Eric, das Crônicas do Reino do Portal (CRP).
Eric é sim muito leonino, gosta de exibir e de ser admirado. Dono de um corpão, de uma personalidade forte, que atravessa o portal e descobre que muito terá que mudar se quiser o respeito do grupo. Hábil com armas pesadas e letais, como machado ou espadas largas, é um guerreiro incomparável e muito leal, tornando-se indispensável para o sucesso das missões impostas pelo Cosmo.
Abaixo, algumas imagens que foram associadas a ele, inclusive um ator que algumas leitoras disseram que imaginam ser igualzinho ao Eric...
E aí gente... alguém tem alguma pergunta sobre o Eric ou para o Eric?

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Pré-venda das CRP 2 - O Lago de Fogo

Olá, queridos!
A pré-venda do segundo livro da série Crônicas do Reino do Portal- O Lago de Fogo - foi liberada pelo editor!!
O livro tem 435 páginas... tá bem grossinho, rsrsrsr
Durante a pré-venda o frete é por minha conta. ;)
O valor do livro é R$32,00 e pode ser adquirido pelo Pagseguro (compra com cartão ou boleto). E o lançamento está previsto para dia 20 de Agosto. A pré-venda vai até dia 15 de Agosto.
Há também um pack especial para quem ainda não tem o primeiro livro e vai ficar no ar até dia 15 de Agosto: O enigma da adormecida + O lago de fogo por R$60,00. O frete tem 50% de desconto.
Quem desejar comprar por depósito ou transferência bancária é só me enviar um email: simone.odete@uol.com.br , que a gente combina direitinho. ;)
Gente... o livro tá mara. =)
PRÉ-VENDA ENCERRADA. =)

sexta-feira, 20 de junho de 2014

O LAGO DE FOGO - O segundo volume da série CRP

Oi gente!!
O segundo livro da série Crônicas do Reino do Portal vai sair do forno em breve!
A aventura se chama O LAGO DE FOGO e a pré-venda deve ser liberada ainda esse mês. =)
A sinopse:
O rei e seus súditos são lançados a uma jornada por caminhos desconhecidos rumo ao norte. Acompanhados pela feiticeira Meg buscarão no reino de William a cura para um poderoso sortilégio. Para isso terão que ultrapassar uma sinistra Muralha que é cercada por perigosos obstáculos e uma verdade dolorosa poderá comprometer a frágil união do grupo...
Em primeira mão pra vocês a nova capa! *arte de Luciana Waack

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Um pouquinho sobre minhas obras publicadas para quem ainda não conhece. =)

Oi gente!
Aqui estão as sinopses de algumas de minhas obras. Essas estão publicadas e disponíveis para venda aos leitores. =)
PAGANUS
Para a Igreja, eram bruxas...
Para a Grande Mãe, suas herdeiras...
Para os homens, sua perdição...
Três gerações de mulheres enfrentam a inquisição enquanto precisam levar a cabo uma importante missão. Em Portugal, no século XVII, as origens de uma história que levará o ciclo de mudança em direção ao Brasil.
SAMHAIN
A Igreja lhe tirou a família.
A Deusa a lançou ao mar.
O destino fará seu coração sangrar...
Brasil, 1690. Ao pisar numa nova terra, Daniele sabe que sua missão está apenas começando e que ainda terá que enfrentar a intolerância, mas será que estará preparada para abrir mão de alguém que muito ama para que o destino se cumpra?
AGRIDOCE
Uma herança genética fará com que Anya, uma jovem estudante de gastronomia que vive em Florianópolis, desenvolva uma necessidade doentia de sangue...
Os vampiros estão mais perto do que imaginamos, quem sabe você não tenha passado por algum hoje...
CÍTRICO
No segundo livro da série Sabores do Sangue, o ciclo do despertar transforma a vida de todos que se envolvem com ele. Portadores, escravos, antagonistas e aqueles que estão próximos deles irão provar os sabores e dissabores desta conturbada relação de sangue.
ETÍLICO
Anya, Daniel e Dante fazem parte de um triângulo com aroma e sabor de sangue e cada nova descoberta sobre condição os leva ao confronto com sentimentos e emoções para as quais talvez não estejam preparados e a uma realidade que mistura, prazer, violência e amor...
OS DEUSES DO MAR
Marina tem 17 anos e vive numa fazenda na Chapada dos Veadeiros. Quatro anos atrás, ela foi a responsável por um grande cataclismo, que todos chamaram de Apocalipse. Ela é adorada por alguns como uma poderosa deusa celta e por outros é chamada de anticristo. Entretanto, o que ela realmente deseja é ser uma garota normal, mas descobrirá que, para alcançar a liberdade, terá que atravessar o véu que separa o mundo dos mortais do Outro Mundo celta...
O ENIGMA DA ADORMECIDA
Oito jovens paulistas acordam num universo que exigirá deles a luta constante pela sobrevivência e o desafio de enfrentar seus próprios medos e personalidades.
O Enigma da Adormecida é o primeiro da série e traz para o leitor uma fantasia com pitadas de realidade. “Quem sabe algum amigo seu não tenha atravessado um portal?"
O LAGO DE FOGO
O Lago de fogo é a segunda aventura das Crônicas do Reino do Portal (CRP2).
O Rei e seus súditos são lançados a uma jornada por caminhos desconhecidos rumo ao norte. Acompanhados pela feiticeira Meg buscarão no reino de William a cura para um poderoso sortilégio. Para isso terão que ultrapassar a sinistra Muralha que é cercada por perigosos obstáculos e uma verdade dolorosa poderá comprometer a frágil união do grupo...

quinta-feira, 15 de maio de 2014

A VOZ E A PENA

Oi gente, este meu artigo foi publicado em 2013 na revista DIVAS.
Ele é parte de um de meus projetos para o ano que vem. =)
Vou dividir com vocês o artigo e gostaria de saber a opinião de vocês, tá?
Beijos!
A Voz e a Pena
“Eu pegava um livro de modinhas que ele tinha me presenteado. O livro era intitulado “A Lira do Capadócio”, e eu ficava virando e revirando as páginas sem saber ler, soletrando alguma coisa que eu aprendera furtivamente com meu irmão, que vinha à noite aprender a ler. Eu ia espiar na porta para ver se apanhava alguma coisa que ele estivesse ensinando para o aluno, mas assim que me pressentia virava-se para trás e me mandava fazer crochê ou costurar."
Este depoimento está no livro autobiográfico de Clotilde do Carmo Dias, minha tia-bisavó, de quem me lembro como uma simpática senhorinha de cabelos brancos. Nascida em 1902, escreveu seu livro Aluna do Telhado em 1972 e presenteou meus pais com um exemplar. Durante muitos anos, o livro era apenas uma história na estante, mas quando o redescobri me emocionei com toda a essência, a história e a luta cultural de Clotilde.
O que antes em minha percepção infantil me escapara foi, em minha maturidade, percebido e me atingiu como um chicote. Clotilde foi uma menina curiosa que foi privada da aprendizagem da leitura e da escrita por que não era um direito concedido às mulheres. A vontade de decifrar as modinhas de um livro e a ânsia por compreender as letras e seu significado a fez se esconder atrás de portas e a subir no telhado, espiando entre as telhas, para furtar o conhecimento de que era privada.
A história de Clotilde é apenas um fragmento da luta que as mulheres travaram e ainda travam para que sua voz seja ouvida. Clotilde morava no interior, trabalhava em uma fazenda e não era seu direito se interessar pelas letras. Talvez, se fosse de família abastada, Clotilde teria frequentado algum internato ou mesmo aprendido com uma preceptora, mas ela era uma garota que tinha que lutar na lavoura para ajudar a família a sobreviver.
A vida simples de Clotilde, entretanto, era só um detalhe, por que em seu âmago ela era uma exploradora e sabia que as letras lhe dariam uma liberdade que não poderia ser usurpada nem pela cinta de seu pai se acaso descobrisse essa sua paixão. Clotilde teve sua história rabiscada com suas letras inseguras depois de uma vida tentando aprender a ler e escrever. Seu livro não teve editora, ela o publicou independente e foi, na época, ajudada por um apresentador de TV (Silvio Santos), que financiou a primeira e única tiragem de seu livro. Um autor, tocado pela história de vida contida naquelas páginas, a auxiliou a lapidar o texto, mas não tirou dele a identidade de sua autora. É possível imaginá-la contando aquela história. A sua voz pode ser a de muitas mulheres que, assim como ela, tiveram uma vida de luta, amores, decepções, dores e alegrias. A voz e a pena há muito pouco tempo passaram a pertencer às mulheres como direito. Durante séculos a literatura socialmente aceita produzida por mulheres eram seus diários e cadernos de receitas, que Lygia Fagundes Telles chama de cadernos-goiabada. Muitos jamais perceberam que aqueles cadernos eram recheados de sonhos, histórias e poesias, criações literárias repletas de emoção e que expunham as forças e fragilidades da alma feminina.
Grandes escritoras se destacaram por sua rebeldia, por desejarem que seus escritos fossem lidos por homens e outras mulheres. Elas expunham a necessidade cidadã, política, eram vozes lúcidas, que tinham objetivos e acabaram por mobilizar e sensibilizar leitores. Mas, além dessas ilustríssimas há aquelas quase sempre anônimas, que se dedicaram a registrar seus escritos em pequenos cadernos, a colocar em linhas mal escritas e íntimas seu cotidiano, suas vidas, seus sonhos e pesadelos... Mostravam que não eram vidas vazias, como o irmão de Clotilde supunha quando a mandava ir fazer crochê ou costurar ignorando seu apetite voraz pelo conhecimento do mundo que ia além das prendas do lar.
O interessante é perceber que, na história da literatura, a vida dessas mulheres rendeu obras famosas, mas a voz que se ouvia era de homens que as desnudaram usando a pena que lhes era negada. Autores como Camilo Castelo Branco, Machado de Assis e José de Alencar, exploravam a riqueza de emoções e histórias femininas, mas não eram as vozes das mulheres, mas suas representações e, por mais admiráveis que sejam essas histórias, ainda representam a recusa de colocar a pena das mãos das protagonistas que, somente há pouquíssimo tempo, puderam assumir o controle do instrumento de escrita e de sua própria voz.
Hoje, o mercado literário têm acolhido as mulheres, embora com relutância em algumas áreas como a Fantasia e o Terror, por exemplo, mas muitos já perceberam que, com uma pena na mão, a voz de uma mulher tem um timbre deliciosamente envolvente. Que as Clotildes não precisem mais subir em telhados para terem acesso à maravilha da escrita, mas que os escalem apenas para terem uma visão privilegiada da paisagem aos seus pés.
Simone O. Marques
Artigo publicado na revista DIVAS, 2013

terça-feira, 29 de abril de 2014

Pré-venda até amanhã

Oi gente!
A pré-venda do Etílico com preço especial sem frete vai só até amanhã. =)
Aproveite para comprar o terceiro livro da saga Sabores do Sangue e experimentar mais um pouco desses sabores e aromas.
O pagamento pode ser feito pelo Pagseguro (cartão ou boleto). Tem um botão aqui do lado. ;)
Beijos!

domingo, 30 de março de 2014

Capa do novo livro da saga Sabores do Sangue!

Oi gente!
Divulguei hoje a capa do novo livro, o terceiro, da saga Sabores do Sangue.
Etílico é para deixar o leitor um pouco tonto, rsrsrsr
A arte é da talentosa Luciana Waack, que também faz a diagramação. =)

sábado, 29 de março de 2014

E vem aí a Odisseia...

Oi gente!
Vem aí a terceira edição da Odisseia de Literatura Fantástica em Porto Alegre.
Estarei por lá desde o dia 10 de Abril. =)

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Evento na Serra Gaúcha!

Oi gente!!
Convido a quem estiver na região da Serra Gaúcha para um bate-papo comigo e outros autores.
Sabor de vinho e chocolate!!! =D

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Promoção com sabor de Malte =)

Oi gente!!
Meu blog parceiro Khave Livros e a Breja Mania estão comigo em uma promoção para comemorar as mais de 700 curtidas na minha página no facebook!
Os prêmios são um livro Paganus e uma deliciosa cerveja belga de malte torrado com sabor de cereja.
Imaginem Diogo degustando uma bebida de coloração avermelhada, envelhecida em barril de carvalho, com um sabor levemente adocicado e efervescente.
E, então? Que tal participarem dessa promoção diferente?
A promoção começa hoje a vai até dia 24/02/2014.
O regulamento é fácil:
* Residir em território Nacional * Se inscrever no canal do Youtube Khave Livros http://www.youtube.com/khavelivros
* Comentar no vídeo do Agridoce e Cítrico http://www.youtube.com/watch?v=X0Xxelfpn98
* Conhecer as páginas do Facebook do Khave Livros e da Simone Marques. Khave Livros ---> www.facebook.com/khavelivros
Simone O Marques ---> https://www.facebook.com/Simonemania
* Compartilhar esse post ou qualquer outro falando sobre essa promoção.
* Clicar na aba PROMOÇÕES dentro da página do Khave Livros no Facebook e clicar em "QUERO PARTICIPAR" nesta promoção.
NÃO DEIXEM DE SEGUIR ESSE PASSO DA ABA PROMOÇÕES! É MUITO IMPORTANTE, POIS SE NÃO CLICAR EM "QUERO PARTICIPAR" SEU PERFIL FICA FORA DO SORTEIO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Boa sorte!! =)

domingo, 19 de janeiro de 2014

Novos banners =)

Oi gente!!
Meu leitor Reinaldo Iceni fez alguns banners de minhas obras.
Adorei os elementos escolhidos, que tanto refletem as histórias. =)
Deem uma olhadinha.

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Os Deuses do Mar, conheçam um pouco da história. =)

Oi, gente!!
Os Deuses do Mar é o primeiro livro da série Marina e os tesouros da Tribo de Dana.
A história é uma distopia com fantasia e que tem como elemento principal a mitologia celta.
Sinopse:
"Marina vive cercada de cuidados e não pode dar um passo sequer sem que um guerreiro treinado a esteja vigiando. Ela é tratada como uma Deusa pelos habitantes da fazenda onde vive, mas não tem direito à liberdade. Entretanto, é dentro da própria fazenda que a jovem irá romper o véu que separa o mundo dos vivos do Outro Mundo e descobrirá que, para impedir que todos os que ama sejam mortos, terá que se aventurar entre os antigos deuses celtas e reunir os míticos Tesouros da Tribo de Dana..."
Esse é o prólogo do livro:
Marina, sentada em sua cama enorme na Morada da Deusa, observava os próprios dedos tentando compreender o poder que possuía. Não era uma coisa real. Era um feito digno de filmes de terror, de histórias fantásticas ou do sonho de todo adolescente...
Há algumas semanas era apenas uma menina que tinha que conviver com os problemas de sua idade: amigos e escola. Mas tudo virara de pernas para o ar e estava assustada.
Ela havia matado uma colega durante uma festa. Mas ela não usara nenhuma arma ou mesmo a agredira fisicamente. Ela simplesmente desejara que aquela menina arrogante morresse e foi o suficiente para que a outra caísse no chão já sem vida.
O que acontecia com ela? Por que sentia aquela força crescendo dentro de si que a impelia a fazer coisas tão... desastrosas? Era Marina Garcia, tinha certeza daquilo, mas também era uma outra pessoa, alguém que tinha algo a realizar, que era parte de algo infinitamente maior e mais poderoso, uma força incontrolável.
Não! Tinha que ser controlável! Ela não podia simplesmente aceitar ser dominada por aquela força. Afinal era ou não era filha de Sara e Lucas? Pensou puxando os joelhos de encontro ao peito e pousando a testa sobre eles. Tinha certeza de que sua mãe apareceria ali para falar sobre as últimas notícias...
Ainda sem compreender como tudo aquilo funcionava, ela havia desejado mais algumas coisas...
E uma delas foi que os templos religiosos fossem destruídos, por que dentro de alguns deles havia aquelas pessoas intolerantes que haviam matado algumas meninas apenas por que se pareciam com ela e sentiu que era o que devia desejar e por que aquilo tinha que acontecer.... E, então, todos os templos foram destruídos, houve milhões de mortos e feridos...
Por que a estavam perseguindo era algo que não compreendia. Sabia que muitas ancestrais suas tinham sido perseguidas acusadas de bruxaria e até sua mãe fora perseguida em pleno século vinte e um! O que as levara a viverem fugidas por anos, até que a sacerdotisa da Tribo de Dana a encontrara e a “convencera” de que ir para aquela fazenda era o certo a fazer... ali ela estaria protegida e eles a ajudariam a entender o que estava acontecendo em sua vida.
Uma batida leve na porta a fez suspirar profundamente e erguer a cabeça.
- Oi, meu amor... tem um tempinho pra mim? - Felipe falou com um sorriso e entrou no quarto. Ele era seu tio postiço, um ex-padre que abandonara tudo para ficar com ela e a mãe, cuidar delas, protegê-las e amá-las, quando pensavam que o pai de Marina estivesse morto, e aquilo era outra loucura em sua vida.
Seu pai levara um tiro quando a resgatara das mãos dos sequestradores há doze anos e acreditaram que ele havia morrido...
Ah! Aquilo ainda era outra história... Sim, ela fora sequestrada quando tinha poucos meses de vida e estranhamente por pessoas daquela fazenda onde vivia agora, seu pai a resgatara, levara um tiro e ficara à morte enquanto sua mãe havia fugido para tentar protegê-la de uma freira maluca que desejara matá-la. E agora ela morava naquele lugar como se tivesse nascido ali. Uma vida normal, com certeza...
- Que pergunta, tio! - Sempre teria tempo para ele. Felipe conseguia ser sempre um oásis de paz em seus momentos de aflição. Sempre conseguia fazê-la sorrir e enxergar as coisas por um ângulo diferente.
Felipe sentou-se na cama ao lado dela e pegou em suas mãos, acariciando-as suavemente. Marina percebeu que ele estava angustiado, preocupado e tentava buscar uma forma de lhe falar o que sentia. Ela ficou olhando para ele esperando-o encontrar a coragem ou as palavras... Tocou nos cabelos loiros e levemente grisalhos.
- Sabe, meu amor... - ele respirou fundo e falou ainda fitando as mãos dela.
Devia estar imaginando uma forma de discutir os últimos eventos sem magoá-la.
- O pensamento é uma coisa forte... e a gente acaba subestimando essa força. Minha avó dizia e muita gente acredita que a “fé move montanhas”. Cientistas dizem que não usamos todo o potencial de nosso cérebro... - ele deu um sorriso nervoso e ergueu os ombros. - Então... está querendo dizer que eu posso ser um daqueles seres estranhos, talvez extraterrestres e que a minha cabeça pode crescer e minha pele ficar verde? - ela sorriu e ele levantou os olhos que brilharam de admiração, humor e amor.
- Não sei... seus olhos já tem aquele tom meio... alienígena - brincou, mas ela podia perceber mais uma vez que ele temia algo que via nos olhos dela. Uma vez dissera que seus olhos brilhavam de uma maneira diferente em alguns momentos, como se houvesse uma brasa por trás deles.
- Tio... - ela falou e o abraçou com força. - Você ainda pode me amar, mesmo que eu tenha provocado coisas tão ruins? - perguntou e ele a apertou mais nos braços.
- Nada vai me fazer deixar de amar você, Marina... - ele falou com emoção na voz que era abafada pelos cabelos negros e perfumados dela. E ela sabia que ele a amava.
Marina se afastou, o olhou com lágrimas nos olhos e deu um sorriso aliviado.
- Minha mãe tá brava? - perguntou mordendo o lábio inferior.
- Não, meu amor... ela só está preocupada com tudo o que está acontecendo - ele respondeu e ela sabia que as coisas estavam bastante difíceis para a mãe também.
- E meu pai? - ela perguntou olhando para a porta.
Sim, sua história ainda tinha o episódio da descoberta de que seu pai estava vivo e que vivera por doze anos sem memória, vivendo junto daqueles a haviam sequestrado e que, na verdade, só desejavam ajudá-la a compreender seu destino. Mas por que não haviam tentado explicar tudo para seus pais ao invés de sequestrá-la, ainda não entendia. Haviam reencontrado Lucas na fazenda Tribo de Dana e ele havia se tornado um guerreiro, no sentido literal da palavra. Era um homem forte, que lutava muito bem e era bastante perigoso. Sabia que ainda precisavam se conhecer mais, mas já estava impressionada com ele.
Felipe se levantou e respirou fundo.
- Ele é um guerreiro e essas coisas não devem assustá-lo. - falou e ela percebeu uma ponta de ciúmes na voz dele, o que era compreensível, afinal, ele era apaixonado pela mãe dela, vivera com ela por doze anos e ela simplesmente se atirara nos braços de Lucas e o deixara “a ver navios”, como diziam.
- Ah, que bom! Me sinto tão melhor! - ela falou com ironia e se esticou sobre a cama macia.
Felipe foi até a janela e ficou olhando para a aldeia, a tribo de Dana, lar daqueles que acreditavam que ela fosse a divindade personificada e diziam que ela era a esperança...
- Você... sabe o que esperam que você faça? - ele perguntou e se virou para Marina que o olhava confusa. - O que Gwenneth te disse? Sei que ela falou com você ontem, enquanto eu... ia atrás de sua mãe.
Marina fitou o teto de tábuas bem entrelaçadas e cobertas por telhas de barro pensando naquilo que Gwenneth, a sacerdotisa, havia dito.
- Ela me disse que meus ancestrais construíram esse lugar para que um dia eu viesse para cá – virou-se na cama e abraçou o travesseiro. - Disse que sou a dona de tudo isso e herdeira da Grande Deusa... que tudo o que preciso saber sobre minha missão está guardado aqui... - indicou sua própria cabeça – e aqui - tocou sobre o peito. – Mas que vou precisar de ajuda para tomar consciência da minha missão... e que eles sabem como fazer isso e vão me ajudar... Falou que existe um lugar aqui na fazenda que chamam de “O Círculo” – fez o sinal de aspas com as mãos e suspirou. – Eu não sei se quero conhecer esse lugar... fiquei toda arrepiada só dela falar o nome – esfregou os braços vigorosamente.
- Disseram que essa fazenda é sua? - Felipe perguntou curioso apoiado na janela.
- Acho que sim... estranho, né? – aquilo era realmente muito esquisito, como podia ser dona de uma mega fazenda daquela?
- Muito... – ele concordou pensativo olhando em volta. Devia estar pensando naquele povo que construíra aquela casa linda só para ela, sem ao menos conhecerem-na ou no jeito estranho com que todos a reverenciavam, como se fosse alguém da realeza desfilando em tapete vermelho. Aquilo realmente incomodava. Ele fechou os olhos e levou a mão à cabeça apertando as têmporas... – Mas veja bem... você virou uma senhora de terras... – tentou dar um toque de humor à situação, mas era um pouquinho difícil...
- Tio... não foi pra isso que viemos para cá, não é? Eu só quero entender o que acontece comigo! – a aflição fez a voz dela sair embargada e ele se sentou ao seu lado e acariciou seus cabelos.
- Acho que ainda vai entender, meu amor. Enquanto isso pretende ficar escondida aqui nesse quarto? – ele falou com um sorriso, sabendo que a provocava.
Marina o encarou com o cenho franzido. Ele sabia como ela não gostava de ser desafiada, por que se sentia impelida a agir, mostrar que era capaz.
Ela não queria se esconder, como uma menininha assustada, mas também precisava de coragem para enfrentar algo que desconhecia, e se ferisse mais alguém sem que pudesse impedir?
- Tio... e se eu... ferir alguém? – perguntou insegura e ele se ergueu.
- Isso não vai acontecer, meu amor... – ele falou estendendo a mão em sua direção. - Estou ouvindo aquela música estranha lá no pátio... Devem estar dançando em volta da fogueira. - fez uma careta. A cultura daquele povo era uma novidade interessante para eles que viviam na cidade, no Brasil e que jamais haviam conhecido um membro da tribo celta antes.
Por que aqueles que moravam naquela fazenda diziam ser herdeiros dos celtas e por isso seu lar se chamava Tribo de Dana, pois Dana era a Grande Deusa, a mãe dos deuses celtas e, consequentemente, de todos eles...
Marina precisava acreditar em seu tio, queria acreditar e, por isso, se levantou e respirou fundo.
- Certo. Mas seria melhor se tivesse um hambúrguer, batatas fritas gigantes e meio litro de refrigerante! – sorriu e viu que ele relaxou os ombros. Esperava aquilo dela e ficava feliz por não decepcioná-lo.
- Ao menos estamos seguindo uma dieta que dizem ser a ideal - ele brincou se referindo à dieta orgânica e integral a que estavam se submetendo nos últimos dias...
- Ah, tá! - Marina fez uma careta. Depois se aproximou dele e o abraçou com força. - Obrigada por ficar aqui, tio - disse afetuosamente e o sentiu suspirar.
- Onde mais eu ficaria? - ele sorriu pegando no rosto dela e fazendo encará-lo. - Meu lugar é com você e com sua mãe. - completou e ela apenas assentiu com os olhos brilhando como estrelas...